Por uma São Paulo para todos

Esse post já foi lido 1642 vezes

Por Floriano Pesaro

 

Não há nada de errado com aqueles que não gostam de política, simplesmente serão governados por aqueles que gostam.” (Platão)

 

Desde jovem, tive a certeza de que seria um homem público. O gosto pela política não é sinônimo de desejo por poder. Gostar de política é atuar e aproveitar a possibilidade de transformar positivamente – e de maneira correta – a realidade.

 Acredito que a política está intimamente relacionada à capacidade de sonhar, bem como a de interpretar sonhos coletivos. Ao longo dos meus 17 anos de trajetória como servidor público, transitei pelas três esferas do poder, sempre com essa convicção em mente.

Em oito anos no Governo Federal, entre Casa Civil e Ministério da Educação, implantei o Programa de Financiamento Estudantil (Fies), possibilitando que jovens pobres cursassem o ensino superior e o maior programa de transferência de renda da história do País, o Bolsa Escola Federal – que visava manter as crianças na escola com incentivo financeiro. Posteriormente, este programa foi transformado no Bolsa-Família. De volta a São Paulo, em 2002, fui Secretário Adjunto da Casa Civil, durante a primeira gestão do Governador Geraldo Alckmin, quando ajudei a desburocratizar e modernizar o Estado por meio da Tecnologia da Informação. Em seguida, por sugestão da Professora Ruth Cardoso, fui nomeado Secretário Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social na gestão do prefeito José Serra. Na ocasião, tive a oportunidade de conhecer cada bairro, cada rua, cada córrego, cada sofrimento, mas também, cada beleza e complexidade de nossa cidade.

Neste momento, quando mais me aproximei da chamada Terra da Garoa, que decidi dar outro passo: afastar-me pela primeira vez de um cargo executivo para enfrentar uma eleição.  Nutrindo os meus sonhos através da esperança de melhoria de vida, que percebi em cada um dos paulistanos que conheci e reencontrei como Secretário de Assistência; encontrei coragem para disputar as eleições de 2008.

Após um processo eleitoral conturbado e uma exaustiva, mas gratificante, campanha, fui eleito Vereador da Cidade de São Paulo com 31.733 votos. O desafio era abandonar uma mentalidade executiva e dar conta de entender e promover mudanças importantes para nosso povo através do Poder Legislativo – que é, de fato, aquele que está mais próximo do cidadão comum.

Logo nos primeiros meses, percebi que o caminho seria árduo. No entanto, com determinação, força de vontade, concentração e mobilização, eu sabia que os resultados viriam.

Atualmente, no último ano do meu primeiro mandato de Vereador, como Líder da Bancada do PSDB na Câmara Municipal de São Paulo pelo segundo ano consecutivo, me sinto satisfeito em perceber o quanto realizamos. Junto com a minha equipe, e uma série de colaboradores ímpares, conseguimos continuar transformando para melhor a cidade em que vivemos.

“Agregar pessoas, valor, conhecimento para criar consensos e avançar, sempre guiado pelo Tripé do Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental”, foram as premissas que nortearam a minha gestão. Os resultados?

Em três anos, foram 75 Projetos de Lei (PL) apresentados. Destes, 28 tornaram-se leis. Todos eles, construídos e conquistados coletivamente.

Cada cidadão que me procurou, atuou em meu mandato direta ou indiretamente. Seja através da participação presencial na Câmara – nas mais diversas Comissões, reuniões, grupos de trabalho, me acompanhando no Programa Um dia com o Vereador – ou à distância, por meio das mídias sociais, onde tenho presença constante. Acredito que por manter essa proximidade virtual é que fui considerado um dos Vereadores que mais interagem com os cidadãos por meio das novas tecnologias. Foi o que demonstrou a pesquisa Político 2.0, da empresa especializada Mídia Log, que me aponta ainda como o vereador mais twitteiro de São Paulo. E isso não é propaganda; é compromisso com a transparência, com a Democracia.

Por tudo isso, é impossível não agradecer aqui a todas as parcerias que tornaram reais cada um desses projetos. Mas, além disso, é primordial prestar contas do que foi feito. Para isso, lançamos nosso Relatório de Gestão (http://ow.ly/bY0JU). Todo cidadão pode avaliar o que foi feito e ainda contribuir com ideias para que o nosso trabalho se solidifique ainda mais no futuro.

 Enfim, aprendi muito no Legislativo. Nutri ainda mais as minhas esperanças e vi que ainda há muito a ser feito. Apesar de a caminhada ser longa, ela não será solitária. E isso me dá ânimo e ainda mais força de vontade para enfrentar meu segundo pleito.

Tenho plena consciência de que somente juntos construiremos uma sociedade mais justa. Uma sociedade capaz de transformar ideais em ações práticas que nos aproximem de um mundo melhor, no qual cada um de nós poderá alcançar seu potencial máximo.

Pois, no final, é como eu sempre digo: se a cidade não for para todos, ela não será para ninguém.

Floriano Pesaro, sociólogo, vereador e Líder da bancada do PSDB na Câmara Municipal de São Paulo

 

Esse post já foi lido 1642 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *